sábado, 27 de março de 2010

Ditos_populares...

Publicado no jornal Folha do Mate de hoje, na coluna de Sérgio Klafke. Confesso que achei interessante por entender todos da maneira errada (!)

"Todos pensamos que falamos corretamente ditos populares, mas as dicas abaixo, creditadas pelo professor Pasquale, nos mostram como as verdadeiras frases dos "ditos populares" que usamos são diferentes.

No popular se diz: "Esse menino não para quieto, parece que tem bicho carpinteiro"
Minha grande dúvida na infância: mas que bicho é esse que é carpinteiro? Um bicho pode ser carpinteiro?
Correto: "Esse menino não para quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro"
Está aí a resposta para o meu dilema na infância! Eu não sabia, e você?! EU TAMBÉM NÃO!

"Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão".
Enquanto que o correto é: "Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão".
Se batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparrama pelo chão se ela está embaixo dele?!

"Cor de burro quando foge".
O correto é: "Corro de burro quando foge".
Esse foi o pior de todos! Burro muda de cor quando foge? Qual a cor que ele fica? Por que ele muda de cor?!

Outro que no popular todo mundo erra: "Quem tem boca vai a Roma".
"Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! EU TAMBÉM. Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar.
O correto é: "Quem tem boca vaia Roma". (do verbo vaiar)

Outro que todo mundo diz errado:
"Cuspido e escarrado" - quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.
O correto é: "Esculpido em Carrara" (Carrara é um tipo de mármore).

Mais um famoso:
"Quem não tem cão, caça com gato"
Também entendia errado, mas entendia. Se não tem cão para ajudar na caça, o gato ajuda! EU TAMBÉM PENSAVA ASSIM. Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que o bicho está de bom humor?!
O correto é: "Quem não tem cão, caça como gato". Ou seja, sozinho!

Vai dizer que você falava corretamente algum desses?!"

2 comentários:

Anônimo disse...

hah..boa!

O Hipócrita disse...

Muito bom, é inacreditável como essas coisas se transformam com o tempo e acabam perdendo o significado original.